domingo, 28 de setembro de 2014

Perguntaram-me por que pronuncio "Jesus" (e não Yeshua ou Yehoshua e afins) (Continuação motivada por tréplica)

Alex,

Toda pesquisa pode, em princípio, não ter bom resultado. Geralmente, isso acontece por problemas na metodologia adotada. Por isso, no âmbito acadêmico-científico, um pesquisador começa sua formação acompanhado por um orientador. Esse orientador avalia os passos, acerta desvios, faz atentar para erros pontuais que vão desencadear em conclusões precipitadas. Só depois de Mestrado e Doutorado sob orientação, o pesquisador é considerado habilitado para desenvolver pesquisas de modo independente e autônomo. Mesmo assim, é altamente aconselhável que se ajunte a um grupo de pesquisa e divulgue seus resultados parciais entre outros pesquisadores, para que, no diálogo com os pares, imperfeições sejam identificadas.

Vejo em sua pesquisa um possível problema duplo: 1) problema na seleção / avaliação das fontes secundárias; 2) problema na apreciação das fontes primárias.

As fontes secundárias são os estudos produzidos por outros. Você parece aproveitar de um tipo de material que tem feito muito sucesso em blogs, sites e no Youtube. Contudo, esses estudos muitas vezes (na verdade, na maioria absoluta das vezes) não são produzidos por pessoas com formação adequada ou com critérios metodológicos pertinentes. Frequentemente, têm caráter mais polemista ou de divulgação que propriamente acadêmico.

Quanto às fontes primárias, é preciso verificá-las com atenção e tempo. O nome Ἰησοῦς aparece primeiro na Septuaginta para o nome יֵשׁוּעַ (Exemplo de Êxodo 17:10: καὶ ἐποίησεν Ἰησοῦς καθάπερ εἶπεν αὐτῷ Μωυσῆς ...). E o mesmo nome é usado posteriormente pelos seguidores do Messias para escreverem seu nome em grego no NT. O apóstolo Paulo escreveu suas cartas em grego e usou essa palavra, como eu já disse antes. O nome grego, então, não é Iesua como você diz. Logo, Jerônimo, que certamente sabia mais hebraico e grego que nós dois, não passa de Iesua ou Ieshua para Iesus. Ele passa de Ἰησοῦς, que foi usado no Novo Testamento em sua língua original, para Iesus, que tem o mesmo som do termo em grego! O S final, então, chega ao português direto do Latim, que o tomou do grego, e que provavelmente o colocou ali para adequar o nome ao esperado de um nome de homem em grego.

Você diz: “Alguns estudiosos acreditam que o padre Jacobus , homenageando o deus jupter. por anos . segundo relato.” Eu fico pensando: que tipo de estudioso? Eles têm formação oficial na área de linguística, estudos da Bíblia ou teologia? Tem currículo na plataforma Lattes (caso atuem no Brasil)? Imagino que não. Geralmente, essas coisas são “acreditadas” não por verdadeiros estudiosos, mas por sensacionalistas com aparência de estudiosos. É o problema das fontes secundárias duvidosas, que eu orientaria você a abandonar prontamente.

Quanto ao verso que você cita de Ezequiel:

וַיָּב֗וֹא אֶל־הַגּוֹיִם֙ אֲשֶׁר־בָּ֣אוּ שָׁ֔ם וַֽיְחַלְּל֖וּ אֶת־שֵׁ֣ם קָדְשִׁ֑י בֶּאֱמֹ֤ר לָהֶם֙ עַם־יְהוָ֣ה אֵ֔לֶּה וּמֵאַרְצ֖וֹ יָצָֽאוּ׃

Eu simplesmente não vejo relação disso com o nome de Jesus. O NOME em questão é o nome divino por excelência, escrito pelo tetragrama, que aparece claramente como o tema do verso na parte final.

Com todo respeito e com toda a tranquilidade, já que você pergunta minha opinião, eu digo que entendo que sua pesquisa te levou a uma conclusão equivocada sim. E eu entendo que minha exposição demonstrou isso. Mas aí vem a questão da crença de cada um, que deve ser respeita. Se você acredita que Satanás (eu, como você sabe, uso os termos na forma tradicional do português mesmo) tem interesse na pronúncia diferente do nome de Jesus, que isso está na agenda dele, você pode acabar entendendo que meus argumentos são mobilizados por ele, no intuito de desviar a muitos da verdade. Preciso respeitar isso.

Crendo que certamente não estou sendo movido pelo capiroto, fico tranquilo por ter exposto minha perspectiva, que é a de muitos, se não da maioria dos estudiosos que abordam o assunto.

Espero que eu tenha sido capaz de fazer com que você suspeite que sua pesquisa precisa de uma revisão.

Abraço!

Cesar